A ascensão da simulação Pantone na impressão flexográfica

Estudos e ensaios recentes que buscavam otimizar a simulação Pantone sugerem que a abordagem de paleta fixa está pronta para revolucionar os setores de flexografia e etiquetas. A mudança deve-se especificamente a avanços que permitem uma consistência e um controle de processo sem precedentes, bem como o desenvolvimento de novas ferramentas projetadas para identificar quais parâmetros do processo estão falhando, permitindo que ações sejam tomadas antes que surjam problemas.

4C sem limites — sem compromisso!

De acordo com Nick Harvey, diretor de aplicação de impressão da Apex International, a paleta fixa de 4 cores tem muitas vantagens em relação às simulações de 7 cores, especialmente para a flexografia de embalagens (wide web). Primeiro, você deve entender e considerar que as impressoras de grande porte existentes têm:

  • Muitos projetos existentes para os quais eles têm clichês em estoque (100.000 euros)
  • Muitos retornos de tinta para a impressora que exigem reformulação para impressão por aplicação de cor (1.000 euros)
  • Vários clientes que não vão transferir designs antigos para a paleta fixa

Quando você entende e considera o fatos mencionados acima, percebe que as impressoras precisam de uma solução de transição para passar para a paleta fixa. A Apex 4C usando a tecnologia GTT oferece essa transição gradual e tranquila. Harvey afirma que cerca de 90% das empresas de impressão têm apenas 8 impressoras coloridas e, portanto, a paleta fixa de 4 cores mais o Branco permite que elas usem as outras 3 unidades para:

  1. Aplicação de cores que não são possíveis com a simulação 4C, viabilizando a impressão de 100% do catálogo pantone.
  2. Impressão de projetos lado a lado, economizando custos de configuração, aumentando o tempo de funcionamento, aumentando os lucros
  3. Impressão de até 800 cores ao mesmo tempo (o sonho de todo designer)
  4. Impressão de uma combinação de valor agregado de lacas, efeito brilhoso, fosco e tátil
  5. Impressão de até 800 cores metálicas ao mesmo tempo apenas adicionando prata às simulações
  6. Você ainda tem a possibilidade de aumentar para 5, 6 ou 7C à medida que, e quando, for adequado às suas necessidades empresariais e sua produção for confortável e compatível com 4C.
  7. Por fim, a capacidade de imprimir todos os projetos existentes no formato atual sem interromper o conjunto de processos fixos de 4C.

Além do descrito acima, em um primeiro momento, passar para a impressão de paleta fixa é uma questão de eliminação de variáveis, para que as empresas de impressão façam a transição para a simulação de cor de paleta fixa de que elas precisam a fim de otimizar seu controle de processo interno, o que requer uma mentalidade de remover/eliminar o máximo de variáveis ​​de processo possíveis. 

Sendo assim, iniciar essa jornada rumo à paleta fixa é muito mais tranquilo quando você começa com o já conhecido conjunto de processos Y M C K. Compreender que 4C traz uma possibilidade de mais de 800 cores em um delta e de 2 já é um passo e tanto, sendo que ele também permite que todos os projetos existentes sejam impressos e que tintas retornadas à impressora sejam usadas durante o transição, como mencionado acima.

A demanda por paleta fixa otimizada só deve aumentar à medida que os proprietários de marcas passarem a exigir melhor consistência de cores com menor tempo de funcionamento e produção “just-in-time”. A maior dessas preocupações é a capacidade de criar consistência de cores em vários mercados, garantindo que os mesmos valores e os mesmos Pantones possam ser impressos em etiquetas como são impressos em películas.

Por mais de um ano, a Apex International esteve envolvida em um projeto para provar que a impressão de paleta fixa com apenas 4 cores é o futuro da indústria de impressão flexográfica. Na Drupa, os resultados dos testes serão apresentados à indústria internacional de impressão flexográfica.

 

O que há de tão especial nesse projeto?

A otimização da paleta fixa por meio de avanços no gerenciamento de cores e na consistência do processo mudou a essência da impressão flexográfica no século XXI. Proprietários de marcas em todo o mundo notaram isso. Na verdade, mais e mais proprietários de marcas estão optando por impressoras com recursos para lidar com paleta fixa. Dois proprietários de marcas líderes — Asda/Walmart e Morrisons — participaram do projeto desde o início. Eles ofereceram projetos de algumas de suas embalagens para serem usados ​​e impressos nos testes.

Segundo, os projetos contêm embalagens que foram impressas anteriormente em vários tipos diferentes de técnicas de impressão, desde litografia até película de alumínio, passando por rotogravura a impressões superficiais em flexografia e etiquetas UV a camisas termorretráteis UV. Todos esses projetos agora são impressos em reversão em OPP em flexografia!

Terceiro, a quantidade de projetos diferentes por clichê de impressão é incrível, todos impressos com CMYK. Para o projeto Morrisons, mais de 100 cores Pantone foram combinadas e 28 (!) projetos foram impressos. O clichê de impressão Asda cobriu 17 projetos e combinou mais de 100 cores Pantone!

“Nada é impossível”

A Apex International provou que o impossível é possível ao apresentar os resultados de impressão em etiqueta UV, Polietileno OPP e Offset/litografia. Os visitantes da drupa podem comparecer ao estande da Apex e conferir os resultados das cores com seus próprios olhos e com o equipamento de gerenciamento X-Rite Color, Exact Scan & ColorCert Master. Como se trata de fazer a correspondência com a prova original autorizada pelo proprietário da marca, o estande da Apex também disponibilizará a prova original. E como se isso não fosse prova suficiente, a Apex também mostra algumas embalagens originais da maneira como elas podem ser adquiridas no supermercado hoje em dia.

Os 28 projetos da Morrisons Print Proof anteriormente impressos em diferentes tecnologias de impressão, agora são impressos em reversão OPP em flexografia.

O “papel” que o Anilox desempenhou

“Conquistar a consistência de cores é provavelmente o componente mais difícil da transição para um processo de paleta fixa”, afirma Bas van der Poel, diretor de Vendas Técnicas (Europa, Oriente Médio e África) da Apex International. “Paleta fixa é uma questão de controle: controle sobre variáveis, controle sobre fluxo de tinta e assim por diante. E foi esse controle que nos permitiu alcançar o número de Pantones que temos com esses testes, e tudo isso sem precisar alterar o inventário de clichês. Isso requer um nível de controle que simplesmente não é possível com cilindros anilox convencionais.

A Apex detém patentes reconhecidas mundialmente na premiada tecnologia GTT, que usa lasers contínuos para gravar um padrão em zigue-zague no anilox. O laser contínuo é responsável por criar um produto anilox capaz de obter a disposição suave, consistente e controlada necessária para otimizar a paleta fixa. A Paleta Fixa 4C consiste em 4 cilindros/camisas GTT e um cilindro/camisa de calibração para controle de circuito fechado e uma estabilidade de processo garantida”.